Papel de parede volta de Jesus
"ENTREGA TEU CAMINHO AO SENHOR, CONFIA NELE E O MAIS ELE FARA".
SALMOS 37.5

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

LUZ É LUZ E TREVAS SÃO TREVAS

Paulo é tão repetitivo, expressivo e incisivo nas afirmações que fez quanto à necessidade de se deixar definitivamente para trás todos os maus hábitos do passado que caracterizavam nossas vidas antes da conversão, como ele nos diz nos versos 3 e 4 de Efésios 5
.
“Mas a prostituição, e toda sorte de impureza ou cobiça, nem sequer se nomeie entre vós, como convém a santos, nem conversação torpe, nem conversa tola, nem gracejos indecentes, coisas essas que não convêm; mas antes ações de graças.”

Veja que ele disse que nem sequer deveríamos falar sobre prostituição, toda forma de impureza ou cobiça, quanto mais nos entregarmos à sua prática. E prosseguiu mostrando o tipo de conversação que convém a santos, a saber, que não seja torpe, tola, com gracejos indecentes. Ele disse que nada disto convém a santos, senão ações de graças.

O modo de se conseguir isto, de se viver de tal maneira, foi dito por ele nos dois primeiros versos deste quinto capitulo de Efésios: “1 Sede pois imitadores de Deus, como filhos amados; 2 e andai em amor, como Cristo também vos amou, e se entregou a si mesmo por nós, como oferta e sacrifício a Deus, em cheiro suave.”.

O modo se andar na luz é sendo imitadores de Deus, da Sua santidade, amor, justiça, bondade e de todas as Suas virtudes, e estando dispostos a Lhe oferecer nossas vidas como sacrifícios vivos e santos que Lhe sejam agradáveis, assim como Cristo se entregou a Si mesmo à vontade do Pai por amor a nós.

Esta imitação não é teatral, não é algo que devemos fazer por nossa própria capacidade e poder, senão por sermos instruídos, dirigidos e transformados pelo Espírito Santo, numa santificação progressiva durante toda a nossa jornada terrena.

Graus maiores desta imitação serão obtidos conforme a medida e constância da nossa consagração ao Senhor e determinação em Lhe sermos devotos e obedientes em todas as circunstâncias.

Jesus disse que nós devemos ser misericordiosos assim como Deus é misericordioso, e perfeitos, assim como Ele é perfeito. Isto confirma portanto, que nada disto será possível sem uma verdadeira consagração a Deus e submissão à Sua vontade.

É fácil entender porque toda forma de impureza e de pecado devem ser deixados pelos cristãos para se revestirem de um modo santo no viver deles. É porque será exatamente por causa destas impurezas e pecados que Deus condenará eternamente ao inferno aqueles que não foram justificados e purificados destas coisas pelo sangue de Jesus.

O salário do pecado é a morte em todas as suas formas: física, espiritual e eterna. É por causa do pecado que há condenação e morte.

Como podem então os cristãos abrigar a ideia de que podem viver no pecado, e ao mesmo tempo agradarem a Deus?

Por isso o apóstolo afirma em Ef 5.5-7:“Porque bem sabeis isto: que nenhum devasso, ou impuro, ou avarento, o qual é idólatra, tem herança no reino de Cristo e de Deus. Ninguém vos engane com palavras vãs; porque por estas coisas vem a ira de Deus sobre os filhos da desobediência. Portanto não sejais participantes com eles;”.

Ele disse que nenhum devasso, impuro ou avarento tem herança no reino de Cristo e de Deus, e como poderíamos esperar as bênçãos de Deus, enquanto vivemos seguindo a inclinação da carne ainda que não em devassidão ou avareza, mas em impureza?

Deus nos criou para vivermos no Seu amor, e a prova de que O amamos está no fato de guardarmos os Seus mandamentos, obedecendo a Sua vontade, de forma livre, amorosa e voluntária, no Espírito. Onde falta isto, há rebelião, inimizade contra o Senhor, e justo Juiz que é, não poderá deixar seus praticantes na impunidade.

Ele se mostrará longânimo e continuará manifestando o Seu favor e graça àqueles que ainda que errados, ignorantes e imperfeitos, desejam sinceramente conhecer e fazer a Sua vontade, e que nunca usam a imperfeição e fraqueza deles como justificativa para continuarem errando e na prática deliberada do pecado.

É necessário compromisso com Deus, com Sua obra, com a Igreja, na determinação de fazer a Sua vontade, porque onde isto não for achado o pecado prevalecerá, e consequentemente o desagrado e a desaprovação do Senhor.

Paulo diz ainda em Ef 5.6 que não nos deixemos enganar por ninguém que venha justificar a prática de tais impurezas, e pecados, usando de palavras vãs.

Deus por acaso aprovaria o nosso mau procedimento dando-nos um viver abençoado, e fazendo uma obra do Espírito Santo através de nós?
Ninguém se iluda querendo tornar o evangelho diferente do único evangelho que existe e que nos foi revelado por Cristo e pelos Seus apóstolos.

Se desejarmos ter um viver de vitória em Deus, é necessário obedecer estas coisas que nos são ordenadas, e nos empenharmos para sermos achados santos e irrepreensíveis na Sua presença.

Nós não somos mais as trevas que éramos no passado, e se somos luz no Senhor, devemos andar como filhos da luz, porque a iluminação do Espírito na nossa vida, e da nossa vida para os outros, não pode se manifestar se não andarmos na verdade, nesta luz que não é da terra, mas do céu.
Paulo está dizendo o mesmo que o apóstolo João diz no primeiro capítulo da sua primeira epístola.

Há concordância no ensino deles porque é a mesma verdade que nos convém obedecer conforme é da vontade de Deus, como se afirma em Ef 5.8

Este andar na luz tem o seu próprio fruto que é toda bondade, justiça e verdade, e tudo aquilo que é agradável ao Senhor, como se lê em Ef 5.9,10.

Deste modo não pode haver comunhão entre luz e trevas, e isto impõe aos cristãos que não podem mais viver em sociedade com as obras infrutíferas das trevas; ao contrário devem rejeitá-las e reprová-las porque esta é a vontade de Deus para com os Seus filhos, como se afirma no verso 11.

Pr Silvio Dutra

A BASE DA CURA E DA RESTAURAÇÃO





"Se vocês derem atenção ao SENHOR, o seu Deus, e fizerem o que ele aprova, se derem ouvidos aos seus mandamentos e obedecerem a todos os seus decretos, não trarei sobre vocês nenhuma das doenças que eu trouxe sobre os egípcios, pois eu sou o SENHOR que os cura" (Hebraico JEOVÁ RAFÁ). - detalhe acrescentado.    ÊXODO 15.26

Você sabia que muito além do que se imagina, muitas doenças e enfermidades físicas, estão completamente ligadas às raízes espirituais das pessoas?

A doença pode ter várias causas: Agentes externos como vírus e bactérias, herança Genética, herança Espiritual, ação de demônios.

Da mesma forma que seu DNA biológico diz quem você é fisicamente, você também tem um DNA espiritual.

Veja estes episódios no dia-a-dia do ministério de Jesus entre nós: “Naquele momento Jesus curou muitos que tinham males, doenças graves e espíritos malignos, e concedeu visão a muitos que eram cegos.” Lc 7.21;  “E também algumas mulheres que haviam sido curadas de espíritos malignos e doenças: Maria, chamada Madalena, de quem haviam saído sete demônios.”  Lc 8.2

Existe muita gente sofrendo de problemas físicos, que são apenas conseqüências de vidas presas,
almas oprimidas, espíritos cativos a algum elo com as trevas. Existem três formas disto acontecer:
- Envolvimento direto e intencional com coisas abomináveis ao Senhor (2 Cr 33. 6-7)
- Herança recebida de pais ou familiars que se envolveram com idolatria ou culto a falsos deuses.Dt 5.9,Sl 37.28
- Ter uma vida vazia, sem nenhuma cobertura spiritual e nenhum comprometimento com Cristo e sua igreja. At 19.13-16

Não podemos deixar nossa vida a mercê de espíritos malignos. Não podemos deixar nosso corpo se tornar escravo de Satanás.  Só Jesus tem poder para curar nossa vida integralmente!  Só o Seu sangue pode quebrar todas as cadeias!

“E todos procuravam tocar nele, porque dele saía poder que curava todos”.   Lc. 6.19
“Para isso o Filho de Deus se manifestou: para destruir as obras do Diabo”.  1Jo.3.8 

Deus não quer fazer uma obra pela metade em nossa vida, somente ele pode curar e restaurar a vida por completo. O pecado destrói e devasta, mas Jesus é o restaurador fiel!

PARA COMPLETA CURA E RESTAURAÇÃO:
RENUNCIAR AO PASSADO- Esquecendo-me das coisas que ficaram para trás e avançando para as que estão adiante, prossigo para o alvo”.   Fp3.13
RENUNCIAR A TRADIÇÃO RELIGIOSA. A religião não salva; é uma criação humana, por isso é falha.
RENUNCIAR PRÁTICAS OCULTAS.
RENUNCIAR AMIZADES MUNDANAS.

REJEITAR A MENTIRA
O tempo todo ouvimos mentiras como: Deus não existe. O Diabo e o inferno não existem. Goze a vida e não se preocupe com isso agora. (“curta o carnaval”). Saberei reconhecer o Diabo – ele é feio. Todos os caminhos levam a Deus. Você pode manipular o mundo espiritual.

O Diabo é mentiroso. Jo 8.44 Mentiras aprisionam a mente e o espírito. A mentira é a base para uma vida de fracasso. Somente a verdade liberta. “E conhecerão a verdade, e a verdade os libertará”. Jo 8.32Não podemos deixar o inimigo semear a mentira em nossa mente. Precisamos falar a verdade, viver a verdade.

PERDOE O SEU OFENSOR
Quem não perdoa não pode orar; Quem não perdoa não pode adorer; Quem não perdoa não pode ofertar; Quem não perdoa não pode ser perdoado, Quem não perdoa sofre doenças. Guardar mágoas e não perdoar, é o mesmo que conviver com a pessoa que não perdoou e, ter a mente escrava daquela pessoa.

Deus nos perdoou, devemos perdoar e liberar o ofensor. Por maior que seja a dor que outros nos causaram, não é maior que a dor que causamos a Deus.

“Perdoem como o Senhor lhes perdoou”.  Cl 3.13. Feridas do passado são curadas pelo perdão. Perdoar é uma decisão. Não é um sentimento, ou um ato da emoção, é um ato da vontade. Perdoar é deixar ir. O perdão fecha a porta para o Diabo.

VENÇA A REBELDIA
Lúcifer se rebelou contra Deus e caiu (Is 14; Ez 28). A rebeldia produz maldição. Adão e Eva quebraram o princípio da obediência e morreram. Israel se rebelou contra Deus. O espírito de rebeldia gera escravidão. É brecha para o inimigo. Assim foi com Judas Iscariotes. Seja humilde."Deus se opõe aos orgulhosos, mas concede graça aos humildes". Portanto, humilhem-se debaixo da poderosa mão de Deus, para que ele os exalte no tempo devido”. 1 Pe 5.6

ABANDONE O PECADO
O pecado tem que ser tratado seriamente. Deve ser reconhecido como pecado. Deve ser confessado como pecado. Deve ser abandonado. “Quem esconde os seus pecados não prospera, mas quem os confessa e os abandona encontra misericórdia”. Pv 28.13

RENDA-SE AO ESPÍRITO SANTO
“Quem vive segundo a carne tem a mente voltada para o que a carne deseja; mas quem vive de acordo com o Espírito, tem a mente voltada para o que o Espírito deseja. A mentalidade da carne é morte, mas a mentalidade do Espírito é vida e paz”.  Rm 8.5-6

O Espírito Santo de Deus traz completa liberdade. Cura e restaura a sua alma! .

TENHA FÉ
O que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé.  1Jo 5.4A fé em Jesus é o passaporte para a vida eterna. A fé em Jesus é a chave da vitória espiritual. Fé é crer de todo o coração no invisível. É ter certeza do que ainda não aconteceu, vai acontecer
Quem tem fé em Jesus está seguro, pois foi selado com o Espírito de Deus.

CONFIRA ALGUNS FILMES POLÊMICOS SOBRE RELIGIÃO

A arte é uma das principais ferramentas para informar e instigar a sociedade, formar discussões relevantes e mostrar que nada pode ser inquestionável. Para gerar essas discussões de forma saudável a equipe do Cinema a Dois montou uma lista de 5 longas com temáticas religiosas que geraram muita polêmica na época de suas estreias. Confira abaixo nossos escolhidos:

Dogma

‘Dogma’ é um comedia dirigida por Kevin Smith, e um elenco estrelado com Ben AffleckMatt DamonAlan Rickman. O longa conta a história de dois anjos que foram expulsos do céu mas querem voltar de qualquer jeito, quando eles descobrem uma forma o mundo todo passa a estar em perigo, pois isso provaria que Deus é falível. A principal intenção do filme é criticar com um certo humor negro, a forma com que as pessoas se apegam a símbolos religiosos.

A Vida de Brian

Dirigido por Terry Jones o filme também é uma comedia que conta a vida do pobre Brian, que quando menos espera é considerado santo, ele conquista uma legião de seguidores, passa por algumas confusões e termina crucificado por Pôncio Pilatos, mas tudo é uma grande engano pois Brian não passa de um ser humano comum. A intenção do longa não é contar a história de Jesus de forma diferente, nem questionar a santidade do próprio, mas sim criticar a grande existência de falsos profetas que se aproveitam da fé alheia para benefício próprio.

Habemus Papam

O que acontece quando um padre é eleito Papa e decidi não aceitar a oferta? É exatamente esse cenário que a comedia dramática dirigida por Nanni Moretti recria. O conclave do Vaticano escolhe o cardeal Melville para ser o próximo Papa, mas Melville não quer aceitar, por medo de não suportar o peso dessa responsabilidade. O longa tem a intenção de humanizar o líder supremo da igreja católica e seus companheiros do vaticano, além de ter sido meio profético já que estreou um ano antes do Papa Bento XVI renunciar ao cargo.

Jesus Camp

O documentário indicado ao Oscar, dirigido por Heidi Ewing e Rachel Grady, acompanha o acampamento cristão para crianças, organizado pela associação Kids on Fire, que tem como tarefa treinar os “soldados de Deus” para recuperar, em nome de Cristo, os EUA. O documentário discute o fanatismo pregado para essas crianças, que podem a vir se tornar parte do governo, e ainda defende a ideia de que política e religião deveriam ser duas coisas distintas.

Luz de Inverno

O drama dirigido por Ingmar Bergman é Sueco e conta a história de um pescador que entra em desespero ao ver nos jornais que a China possuía uma bomba atômica e resolve ir buscar conforto na igreja, só que ao chegar lá descobre que e o pastor Tomas Ericsson está passando por uma forte crise de fé. O longa discute de onde vem o conceito de fé e de que maneira ela blinda o ser humano de seus temores, além de deixar a mensagem de que fé é completamente diferente de religião.

Igreja católica da Austrália pagou U$213 milhões em indenizações por abusos sexuais, diz governo

Por Byron Kaye
SYDNEY - A Igreja católica da Austrália pagou 276 milhões de dólares australianos, o equivalente a 213 milhões de dólares, em indenizações a milhares de pessoas que foram vítimas de abusos sexuais desde 1980, segundo informações dadas a uma comissão de inquérito do governo nesta quinta-feira, na primeira vez em que o valor total de compensações pago às escolas, orfanatos e residências da igreja foi revelado.
O relatório de uma comissão real a respeito de abusos institucionais disse que 3.066 vítimas receberam alguma forma de indenização de um organismo católico nos 35 anos transcorridos até 2015.
Os pagamentos em dinheiro no valor de 258,8 milhões de dólares australianos representaram uma média de 91 mil dólares australianos por pessoa. Parte das reparações não foi paga em dinheiro.
A instituição que desembolsou mais foi a ordem global Irmãos Cristãos, que pagou 45,5 milhões de dólares australianos a 763 pessoas, uma média de 61 mil dólares australianos por pessoa. Os jesuítas pagaram mais por querelante - em média, 257 mil dólares australianos por pessoa.
O tempo médio entre o abuso e a apresentação da queixa foi de 33 anos, disse a procuradora Gail Furness no relatório, acrescentando que "muitos sobreviventes enfrentam barreiras que os desestimulam a relatar o abuso às autoridades e à instituição na qual o abuso ocorreu".
Reuters

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

O CARÁTER CRISTÃO E A PALAVRA DE DEUS

                                                                  


“Portanto, quem ouve estas minhas palavras e as pratica é como um homem prudente que construiu a sua casa sobre a rocha. (Mateus 7:24)”

John Ruskin disse: ”A recompensa mais alta do trabalho duro do ser humano, não é o que se consegue com ele, mas sim o que chega a ser graças à ele”.

Se diz que Michael Eisner, chefe da Disney Corporation, fez um projeto para uma casa em que umas das paredes era tão fina que quase afunda com seu próprio peso. A casa de outro multimilionário do mundo da informática, tinha revestimento de pinho que apodreceram antes da casa ser acabada.

Estavam muito ocupados para dar-se conta disso? Os arquitetos dizem que muitas pessoas ficam tediosa com os pequenos detalhes da construção; preferem gastar dinheiro em coisas chamativas. No entanto, são os cimentos o que determina a solidez, estabilidade e em última instância, o valor da casa.

E você? Tem colocado todos os seus esforços em manter uma imagem, enquanto descuida dos valores fundamentais como atitude, a integridade ou o propósito que Deus tem pra sua vida?

Jesus disse: ”As palavras que falo são como cimentos para sua vida….seja construtores avisados que constroem sobre a rocha para que nada destrua a casa” ( Mateus 7:24-25 parafraseado)

As edificações erguidas sobre a areia são rápidas, baratas e fáceis, proveem cobiça temporal e gratificação espontânea. Já edificar na rocha é muito mais difícil, é necessário tempo, esforço, visão e perseverança, mas os resultados valem a pena.

Se você não está certo de que tipo de casa você está construindo; observa o que ocorre quando chega a tempestade. A casa construída sobre a rocha aguentará, enquanto a na areia demorará. Em outras palavras: não há atalhos…o caráter se desenvolve com compromisso, sendo consequente e edificando de acordo aos princípios da Palavra de Deus.

Quando esses valores forem cimentos em tua vida, resistirás a qualquer tormenta.

CONVERSA FIADA

Amar a Deus é obedecer aos seus mandamentos. (1Jo 5.3a)

Alguma coisa está errada quando o marido faz juras de amor pela esposa e é infiel a ela.
Alguma coisa está errada quando a mãe diz morrer de amor pelo filho, mas vive gritando com ele.
Alguma coisa está errada quando o pastor se diz disposto a dar sua vida pelas suas ovelhas, mas nem sequer ora por elas.

É preciso fazer diferença entre o amor de palavra e o amor em ação. Todo verdadeiro amor inclui tanto declarações verbais quanto mostras de amor.

O amor convence mais pelas obras do que pelas palavras.

Na prática do amor, nosso modelo é Deus. Ele diz que nos ama e prova a autenticidade desse amor.

O versículo mais conhecido e mais traduzido da Bíblia é sobre isso: “Deus amou o mundo tanto, que deu o seu único Filho” (Jo 3.16).

Deus espera que não fiquemos apenas com nossas declarações de amor dirigidas a ele. Ele quer coerência, evidências, comprovações de que de fato o amamos.

Alguma coisa está errada quando dizemos que o amamos, mas não negamos a nós mesmos naquilo que causa aborrecimento a ele.

Daí a palavra simples e oportuna de João: “Amar a Deus é obedecer aos seus mandamentos”.

Porque Deus é absolutamente santo, ele quer e pede que sejamos santos como ele é santo. Para mostrar a ele e aos outros que nós o amamos, precisamos dar testemunho desse amor por meio de obras. Em qualquer parte da Bíblia encontramos o modelo de conduta que devemos ter e manter; o paradigma do comportamento exigido é muito alto (em comparação com o baixo nível do paradigma imposto pela sociedade).

Antes dessa exortação, João já havia feito outra, mais no estilo de Tiago do que no seu próprio: “Nosso amor não deve ser somente de palavras e de conversa” (1Jo 3.18).

Peca-se menos deixando de fazer declarações de amor a Deus, ao cônjuge e aos irmãos do que fazê-las sem acompanhá-las de ações que o comprovem.

Deus nos livre do amor só de palavras!

Vítima de padre pedófilo narra calvário 40 anos depois

(Arquivo) Papa Francisco

Semanalmente, durante quatro anos, ele foi violentado por um padre na Suíça. Mais de 40 anos depois, Daniel Pittet conta seu calvário e sua luta pela verdade em um livro com prólogo do papa Francisco.
"Mon Père, je vous pardonne" (Padre, eu te perdoo), da editora Philippe Rey, publicado na quinta-feira, foi escrito por um ex-monge, atualmente casado e pai de seis filhos.
Daniel Pittet, 57 anos, morador do cantão suíço de Friburgo, conheceu o papa em 2015.
Francisco, com um gesto inédito, aceitou escrever o prólogo de seu livro e destacou que "testemunhos como o seu lançam luz sobre uma zona terrível de sombra na vida da Igreja", abalada por vários escândalos de pedofilia.
"Como pode um padre, a serviço de Cristo e de sua Igreja, chega a causa tanta dor?", escreveu o papa após recordar que algumas vítimas chegaram a se suicidar.
"Estas mortes pesam no meu coração, na minha consciência e na de toda a Igreja. Às famílias envio meus sentimentos de amor e de dor, e, humildemente, peço perdão", destacou.
O autor descreve os abusos que sofreu entre 1968 e 1972 - dos 9 aos 13 anos - pelo padre Joël Allaz, um suíço da ordem dos capuchinhos.
Pittet sofreu quase "200 atos de violação", no silêncio de um convento, segundo conta em entrevista à AFP. Mas basta apenas uma violação "para destruir a vida de uma pessoa". E Daniel Pittet calcula em "mais de 100" as vítimas prováveis do padre Joël.
Somente uma minoria ficou conhecida. "Para uma vítima de violência é muito difícil falar", diz Pittet, que sofreu de depressão e outras doenças.
"Falta de provas"
Daniel Pittet esperou quase 20 anos antes de denunciar o padre Joël Allaz à justiça eclesiástica, depois de ouvir sobre uma nova vítima. O sacerdote foi transferido imediatamente para a França, a uma diocese de Grenoble (leste).
Em 2003, após novas suspeitas, o padre Allaz foi transferido para a irmandade dos capuchinhos de Bron, perto de Lyon (leste), donde dirigia um "serviço administrativo sem ministério".
Mas foi necessário esperar novas revelações para que a polícia iniciasse uma investigação. Em 2008 eram computados 24 casos de vítimas de abuso sexual - a maioria prescritos - cometidos entre 1958 e 1995 na Suíça e na França.
Joël Allaz foi condenado em dezembro de 2011 a uma pena de dois anos de prisão com suspensão condicional da sentença, após um julgamento em que duas vítimas se constituíram a parte civil.
Daniel Pittet foi reconhecido como uma vítima pela diocese de Friburgo e pela congregação dos capuchinhos. Mas a justiça da Igreja não condenou o agressor. Uma investigação eclesiástica aberta em 2002 em Grenoble foi fechada por "falta de provas".
O padre "nunca foi reduzido ao estado laical", lamenta Pittet. O capuchinho, agora com 76 anos, continua vivendo na Suíça. "Me disseram que ele está recebendo ajuda, espero que esteja certo. Mas pode sair do convento", conta a vítima, convencido de que um "pedófilo continua sendo pedófilo por toda a vida".
O agressor concordou em falar em julho de 2016 em uma entrevista publicada no epílogo do livro de Pittet. Joël Allaz reconhece ser "este pedófilo monstruoso que deixou uma série de vítimas", mas garante que não tem mais "este tipo de impulso".
Daniel Pittet o encontrou novamente em novembro do ano passado. "Não falamos de pedofilia. Não me pediu perdão, mas já havia feito isto em uma carta", conta sobre o homem que, segundo ele, "nunca deveria ter sido padre".
Atualmente, este católico comprometido fala "por todos aqueles que não poderão falar jamais". Não culpa a Igreja - embora critique sua "ingenuidade" - por uma praga que pode ocorrer "em todas as famílias". "Poderia ter sido meu tio, foi um padre".


AFP